Existem vários procedimentos que podem ser realizados ambulatorialmente, sem a necessidade de bloco cirúrgico e sedação. Essas técnicas podem ser cirúrgicas, visando remover uma lesão e/ou lesões e enviar para estudo anatomopatológico ou destrutivas, quando já se sabe o diagnóstico da condição.

Geralmente realiza-se anestesia infiltrativa ou mesmo, em alguns casos, apenas cremes anestésicos já são eficazes no alívio da dor. Alguns dos procedimentos realizados são:

  • Shaving: o termo “shaving” em Inglês significa “ barbear-se. Na dermatologia podemos fazer a retirada de lesões benignas de forma parecida, retirando a base da lesão paralelamente à superfície. Desse modo não se realiza sutura e a cicatrização se faz com pomadas e curativo. Um exemplo de lesão tratada dessa forma são os acrocórdons (pólipos fibroepiteliais pediculados).
  • Eletrocoagulação: é uma técnica destrutiva, que “queima” a lesão. É uma forma de cauterização feita com um aparelho conhecido como eletrocautério, onde uma corrente elétrica percorre um circuito que o próprio paciente faz parte, geralmente usando uma placa(placa-terra) próxima da área tratada. Muito usado também para a hemostasia (controle do sangramento) durante cirurgias. Como gera uma alta produção de calor deve-se usar a menor potência e tempo de exposição possíveis para minimizar o dano térmico aos tecidos. Um exemplo de lesão tratada desse modo são verrugas vulgares (exceto as plantares).
  • Curetagem: É um procedimento muito útil no consultório, onde através do uso de curetas descartáveis ou não, procede-se a retirada parcial ou total de lesões, assemelhando-se a uma “raspagem”. As curetas são instrumentos com pontas arredondadas e cortantes e tamanhos que variam de 0,5 a 10mm. Um exemplo de lesão tratada dessa forma é o molusco contagioso.

Mais importante que a forma de tratamento é o diagnóstico da condição. Através do exame clínico e dermatoscópico a maior parte das lesões já pode ser diagnosticada. No entanto, algumas podem precisar de biópsia prévia e em outras pode-se realizar um procedimento que já seja diagnóstico e terapêutico, retirando toda a lesão e enviando para análise. Seu dermatologista indicará a melhor forma de tratamento.

Dra. Aline Fischer
Últimos posts por Dra. Aline Fischer (exibir todos)
Queimadura solar. O que fazer?

Eu queria que ninguém precisasse ler esse post, porque obviamente no mundo ideal sempre tentamos prevenir a queimadura e junto Leia mais

Checklist: O que levar para a praia com bebê

Quem leva criança à praia pode ter um desgaste mental só para lembrar a quantidade de tralha que devemos levar. Leia mais

acidentes com água-viva
Acidentes com água viva: O que fazer?

- É importante que os banhistas sejam cuidadosos e tentem evitar o contato com águas-vivas e caravelas em praias que Leia mais

cuidados com criança na praia
Cuidados com crianças na praia

Verão combina com sol e praia não é mesmo? Nem tanto se você tem um bebê recém nascido em casa. Leia mais

Categorias

Arquivos

Open chat